domingo, 29 de abril de 2012

Reflexão sobre estados de Consciência.


Falar em estados de Consciência, planos de existência ou níveis hierárquicos espirituais, quer do mundo Imanente quer do Mundo Transcendente, significa exatamente o mesmo.
Só existe algo, desde que exista quem se dê conta da sua existência.  
Comparativamente, os vários estudos contidos nos vários ramos das ciências herméticas, apresentam resultados idênticos. Quer a Cabala, a Numerologia de Pitágoras, a Alquimia Espiritual, os estudos sobre os Princípios Herméticos entre outros mais atuais, como o caso, da própria física quântica, neste ultimo ramo cientifico, a consciência, surge como a quinta partícula atómica que é acoplada aos estudos das outras quatro: eletrão, protão, neutrão e fotão. Assim colam-se aos ramos tradicionais das ciências herméticas, na atualidade a física quântica, onde vários pensadores, expressam de forma mais ou menos velada as teorias que o hermetismo ensina aos seus estudantes há milénios.
Pode-se afirmar que existe em tudo o que é CREAÇÃO algum nível de consciência, pois ELA, a verdadeira e única COSNCIENCIA, fragmentou-se e ao baixar nos seus níveis vibratórios até ao plano mais denso, interpenetra todas as coisas, todos os seres inanimados e animados. Lá porque o ser-encarnado, não percebe os níveis de consciência existente nos objetos, nos outros seres vivos e inanimados, não quer dizer que essas consciência não esteja presente. Basta para tal, perceber no exemplo dos dialetos que não sabemos interpretar, se ouvirmos dois seres falarem num outro dialeto humano, sabemos que se estão comunicando, mas não saberemos interpretar. Se não soubéssemos que os seres humanos se comunicam através deste meio, até poderíamos compara-los com outros animais irracionais, aos quais não atribuímos capacidade de acessos de consciência. O mesmo, embora que mais sutil no seu entendimento, se aplica aos seres inorgânicos/inanimados.   
No estado de Transcendência só existe UM estado de CONSCIENCIA, o verdadeiro estado, mas o hermetismo ensina que este estado inexiste para o entendimento do ser-espirito, pois para existir qualquer que seja o evento, tem que haver “o observador” e como no estado de Transcendência só existe o NADA, tudo o que existe em potencial está em estado IMANIFESTO, em estado ÚNICO, assim sendo não pode existir “o observador”, se assim não fosse existiriam pelo menos dois estados de consciência: o ESTADO do NADA e o estado do “observador-ser”. Tal não é possível, pois isso significaria o estado Imanente e não o Transcendente.
Já nos estados de Imanência existem quatro estados de consciência, ou planos de existência;
O Nível da Emanação | AZILUT – O PODER SUPERIOR (KETHER) na sua projeção no mundo Imanente que a partir do SEU QUERER, RA | 1 Pitagórico | HOKHMAH da Cabala, faz vibrar MA | 2 Pitagórico | BINAH da Cabala, gerando a PRIMEIRA EMANAÇÃO.   
O Nível da Criação | BERIAH - Este nível de CONSCIENCIA também é conhecido por nível KRISTICO, o mais próximo do PODER SUPERIOR | DEUS, ou também por nível da UNIFICAÇÃO.
O Nível da Formação | YEZIRAH – Este nível de CONSCIENCIA também é conhecido por nível da DESCONTINUIDADE, onde o PODER SUPERIOR emana as formas. É neste nível de consciência que o ser-espirito adquire consciência da individualidade, pois o fenómeno de descontinuidade é absoluto, dizendo respeito a todas as formas, entre as quais a própria CONSCIENCIA.
O Nível da Manifestação | ASYTAH – Neste nível de CONSCIENCIA, é onde se manifestam as formas, mas não como formas densas, ainda como formas em potencial, só nos seus mais ténues contornos. Este plano é também conhecido pelas ciências místicas, como plano ASTRAL, onde toda a criação mental se encontra. Coabitam as formas mentais (formas de pensamento), emanadas desde KETHER | PODER SUPERIOR, com as criadas pelos seres encarnados em MALKUT (plano físico da existência | nosso plano).


Agora o Busca-dor perguntará: ?...e então no nível da densidade em Malkut, não há estado de Consciência referente a este nível ? Respondemos: Sim, existe. O nível quatro que designamos de plano Astral. Este é o mais próximo e único verdadeiramente acessível ao ser-espirito enquanto encarnado. Embora pareça estranho todos temos e acedemos constantemente a ele. Quase nunca de forma voluntária e raros são os seres que o mesmo de forma involuntária, conseguem interpretar esses acessos de Consciência.
A forma ténue como acedemos a ele, tem a ver com a força como o ego tenta manter uma ilusória consciência individual. Neste processo o ego, usando unicamente o pensamento e as memórias como base (banco) de dados, cria uma micro consciência, iludindo o ser encarnado, levando-o a pensar que este movimento cerebral: pensamento – memória – pensamento é a verdadeira consciência. Quando na verdade é apenas um movimento fechado dentro da mente do ser, criado no sentido de mante-lo na ilusão de acesso cons-ciente, quando na verdade é, isso sim, um aprisionamento in-consciente. Neste movimento o ser nunca se eleva para fora si, assim sendo, nunca acede a qualquer verdadeiro plano de Consciência, pois qualquer deles está para alem de si e nunca dentro de si. Dentro de Si, só o PODER SUPERIOR | DEUS, só ELE contem a CONSCIENCIA. Para todos os outros, todos o seres, mesmo os mais elevados níveis hierárquicos estão fora da CONSCIENCIA, então para aceder a ela, precisam deslocar-se.
Como diz o Hermetismo no seu Primeiro Principio: O Universo é mental. Assim tudo se cria e se gera nos planos superiores do mundo Imanente através da MENTE DO TODO ou através das mentes que são os vários seres-consciências, representados pelos vários níveis hierárquicos dos planos sutis. Mesmo o ser-encarnado tudo o que cria no plano denso, recebe do plano Astral, quer seja vindo do PODER SUPERIOR, quer seja por indução de outros seres encarnados ou não, ou até por Egrégoras criadas a partir do plano denso, nesse plano Astral.
Então podemos entender que estando encarnados os seres-espíritos (seres-humanos), têm constantes acessos voluntários ou involuntários ao plano de Consciência mais próximo, por sua vez, mais acessível ao atual estado do ser-espirito. O plano Astral é o que proporciona ao ser humano os famosos acessos de genialidade que se entendem por inspiração dos cientistas, artistas, outros profissionais, etc., também é a partir daqui que se recebem as mensagens premonitórias e outras. Os iniciados sabem que é aqui que se produzem as manipulações sobre os eventos do plano denso que os seres humanos entendem por milagres, fenómenos-paranormais. É aqui que se constata o que se entende por futuro, presente e passado, podendo o ser conhecedor manipular e influenciar quer os acontecimentos quer os outros seres do plano onde se materializam – o nosso plano de existência.     

Lei do paradoxo DIVINO

Só se atinge a lucidez da concórdia quando se entende a discórdia. 



...mas...
Só se entende a discórdia quando se atinge a lucidez da concórdia. 

sábado, 21 de abril de 2012

UM | 1


sexta-feira, 20 de abril de 2012

Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?!! Reflexão Hermética


A primeira polarização - Na verdade não houve uma primeiro que outra, ou seja, o positivo – a LUZ e o negativo – o espaço, já existiam, sempre existiram no potencial que é o NADA Hermético. Unicamente a ilusão que o ser entende por separação das coisas creadas gera essa duvida, quando na verdade: TUDO EXISTE NO TODO, MAS TAMBEM O TODO EXISTE EM TUDO.

Assim podemos dizer que as duas inexistem, pois elas na verdade estão no estado Imanifesto, já o mundo Imanente só existe porque e  a partir do momento em que o ser-espirito é individualizado e a partir desse momento passa a haver um observador para ter ciência das coisas. Pois como diz a física quântica, no estado do vazio quântico, tudo existe em potencial, mas só se manifesta se o observador se fizer presente e observar. ASSIM COMO É EM CIMA É EM BAIXO E ASSIM COMO É EM BAIXO É EM CIMA.

domingo, 15 de abril de 2012

A pele do Espirito | Os corpos subtis


O espirito depois de individualizado, nas sucessivas descidas de planos, dos mais subtis para os mais densos, precisa de usar vaiculos diferentes, adaptados a essas condições, funcionando como meios de transporte para que ele | espirito possa vivenciar esses planos, nessas condições.
Na condição fora destes vaiculos, o espirito-humano atinge a sua quase plenitude de estado consciência, só ultrapassado pelo estado unificado das hierarquias superiores do nível da UNIFICAÇÃO e para alem deste, do ABSOLUTO | do TODO no seu estado TRANSCENDENTE.
Assim temos que o espirito-humano é condicionado quanto ao seu estado de consciência do TODO, pelo plano em que se encontra e isto é verdade em função da sua necessidade de este | usar nesse estado determinada condição: UNA ou Individualizada e determinado tipo de vaiculo que o transporta: alma (copos subtis) e corpo denso.
Mesmo no caso dos estados de consciência, acima deste plano denso, em que o espirito-humano se encontra remetido ao interior do corpo-alma, os estados de consciência podem ser ligeiramente diferentes, mas aqui fruto de uma maior ou menor capacidade | esforço que o ser-espirito cria para se libertar dessa condição em que se encontra. Caso contrario, a condição de limitação do estado de consciência é imposto pelo corpo | vaiculo e o estado em que esse se encontra na adaptação a esse plano. Isto também é verdade para o estado encarnado do espirito humano. Pois assim como é em cima é em baixo e assim como é em baixo é em cima.  


Assim temos que os vários níveis | planos do mundo Imanente, fora dos planos da Unificação do espirito, só existem dois vaiculos que o ser-espirito usa. O vaiculo alma e o vaiculo corpo-denso. Na verdade os mal-entendidos sobre os supostos vários vaiculos usados nos níveis mais subtis, têm que ver com o não se conhecer as potencias e verdadeiras características que o vaiculo-alma assume, pois este enquanto vaiculo de transporte do espirito, não tem características estáticas como no caso do corpo-denso, dai os erros. 
A alma é na verdade quase que um ser, mas não o é na verdade. Como o corpo denso por quase todos é confundido como um ser, quando na verdade o que lhe dá a vida é a centelha divina que aqui designamos por ser-espirito. No caso da alma e porque a reflexão normalmente é feita por quem tenta entender sem ver | vivenciar estes planos, corpos e eventos, o seu entendimento torna-se mais confuso ainda. Assim a alma é um vaiculo, tal como o corpo-denso, mas esta, muito mais subtil, capaz de transmutar e subtilizar-se nos vários planos em que tem que transportar o ser-espirito.
Poderíamos dizer que o espirito e a alma são dois companheiros, quase, inseparáveis, pois desde que o espirito se individualiza, quase de imediato ele ocupa | cria | desenvolve um corpo-alma e viver uma autentica eternidade no que entendemos por tempo cronológico incorporado nesta. Já a forma como o espirito individualizado, mas em estado puro, cria o seu corpo-alma, desenvolveremos noutra reflexão.
Assim o corpo-alma que o espirito puro cria para si, acompanha o espirito na sua queda, adaptando-se | transmutando-se às condições de cada nova densidade e mudança de plano, para que o espirito possa viver e aprender nesses estados de consciência limitados. À medida que o espirito vai incrementado mais densidade ao seu corpo-alma que lhe serve de vaiculo, simultaneamente, vai ficando menos capaz de manter o seu original estado de consciência.
Assim, na verdade desmistifique-se a existência de vários corpos subtis, pois só existe um que é a alma, sendo esta sim capaz de se transmutar, adaptando-se às condições necessárias para que o ser-espirito puro consiga existir nesses níveis de densidade de planos concretos.
A alma é pois a eterna companheira do ser-espirito, se pretendermos, a polarização do um-espirito quando  estado individualizado. Esta representa o Útero onde a centelha divina que é o espirito humano, se desenvolverá, aprenderá e viverá, até à sua derradeira libertação | quando se UNA de novo ao PODER SUPERIOR |DEUS.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

domingo, 8 de abril de 2012

Biorritmos | O seu domínio através da ciência Hermética


O Ritmo é o Principio Hermético – parte da LEI que são no seu conjunto todos os princípios Herméticos, este, é o que cria a Harmonia, é ele que envolve a multiplicidade que a descontinuidade gerou através das polarizações, mantendo-as harmoniosas. Assim se quisermos entender o QUERER SUPERIOR que é a MENTE do PODER SUPERIOR | DEUS, devemos ver o ritmo como a sua função de coordenação. É pelo ritmo que o equilíbrio se produz, embora o ser não o entenda, pois a complexidade de movimentos é de tal ordem que só a MENTE do TODO poderia saber coordenar cada ritmo resultante da descontinuidade de forma a que tudo seja HARMONIA PURA e é assim que ocorre no seu TODO.

Qualquer ritmo pode ser atenuado ou se pretender, dependendo do que estejamos ritmando ou tentando ritmar, podemos sempre através dos restantes princípios, controlar os seus efeitos diretos, compensando com outros princípios que podem anular os efeitos, atenção não falo em anular o ritmo, mas os efeitos que esse ritmo está tendo sobre um evento em particular. Individualizando e vendo a perspetiva do biorritmo, ou seja, do ritmo biológico do ser humano, imagine-se que estamos num dia de enorme tristeza, sem um motivo aparente, aqueles dias que temos sem que se entenda bem porquê. Neste caso também é certo que teremos outros dias em que estamos extremamente felizes, sendo que esta felicidade, por vezes também não tem qualquer explicação racional, mas como é felicidade nunca existe nela qualquer problema, pois é para nós positivo. Se repararmos num período alargado de tempo, veremos que é frequente estes dois estados, sem que o ser entenda bem o seu motivo. Mas sob o ponto de vista Hermético, para resolver a questão deveremos entender a periodicidade em que isto ocorre, ou seja, o ritmo, em que os momentos de tristeza e de alegria incompreendidos ocorrem. Assim ficaremos a perceber o ritmo do evento, este mesmo ritmo, como o Hermetismo afirma, não pode ser anulado, mas pode ser atenuado e aqui através de outros princípios Herméticos poderemos usa-los de forma fazer com que os seus efeitos sejam suavizados.



Neste caso devemos ver os momentos de enorme alegria e enorme tristeza, como movimentos de um pendulo, este pendulo é o Princípio da Causalidade a funcionar, ou seja, sempre que geramos uma enorme alegria (causa) | (polo positivo), este irá gerar o seu oposto - Principio da Polaridade,  uma enorme tristeza (efeito) | (polo negativo). Já quanto maior for a alegria, igual será o efeito que contrabalança este polo – a tristeza. Assim e de forma muito simples, se pretenderemos dominar um efeito negativo que o ritmo nos pode proporcionar, devemos aprender a diminuir os estados de alegria eufórica que neste caso se transformarão em estados de enorme tristeza como forma de trazer a harmonia, através do Principio do Ritmo, pois tudo tendo dois polos, tudo no universo é perfeito, sempre que há um movimento positivo, este irá gerar um movimento negativo que o compense – Principio do Género.

O caminho do meio sempre foi e será o mais equilibrado para o ser, quanto menos movermos o “pendulo” menor serão os efeitos das polaridades que o ser sentirá, este é parte do significado do caminho do meio, mas recordo que é só parte, pois seu significado é muito mais profundo que este simples motivo aqui apresentado.  

Não esqueça o ser busca-dor que não há como fugir aos seus efeitos, por isso, sempre que estivermos polarizados em algo, mesmo sendo positivo na nossa perspetiva, tenhamos a firme convicção que o efeito do ritmo nos levará mais tarde ou mais sedo ao outro polo e esse terá a mesmo intensidade mas no seu oposto.

De forma simples, é pois pelo maior estado de neutralidade que a harmonia se consegue. O Caminho do meio. 

Os níveis | movimentos da consciência.


Em bom rigor e na verdade a nossa consciência está UNA, pois ela é parte, um fragmento da CONSCIENCIA que é o QUERER SUPERIOR, a verdadeira projeção do PODER SUPERIOR DEUS no mundo Imanente. Na primeira fragmentação | descontinuidade deu-se a primeira polarização – RA | MA – positivo | negativo – masculino | feminino – Kristus | Sophia. O nível hierárquico representado pelo polo feminino | Sophia inicia a “queda” e nessa queda, a cada descida, os espíritos individualizam-se cada vez mais, tornando-se à medida que caiem, na vibração da descida, cada vez mais densos, mais individualizados na sua aparente consciência de si e do mundo que os rodeia.

Quando o espirito individualizado, já no final da sua descida, encarna no corpo denso, perde quase por completo o contato com a sua consciência verdadeira, a UNIFICAÇÃO do estado primordial da primeira polarização – KRISTUS e SOPHIA. As crianças na face inicial da encarnação, estão ainda, em parte, livres da construção dos instrumentos do ego. Relembremos que a mente é o órgão fisiológico controlado pelo ego, sendo o pensamento o mecanismo  da mente que o ego usa para limitar o ser, mantendo-o na aparente individualidade.

A evolução e desenvolvimento espiritual é na verdade a subida, o retorno à consciência, à Unificação. É possível ao espirito, estando encarnado, aceder aos níveis superiores da consciência, para isso devemos fazer o movimento para a frente do saber ARCANO – procurar o caminho do meio | a coluna do centro da arvore da vida | reduzir a distancia das polaridades. A isto o Hermetismo define como aproximar os polos através do domínio do Princípio da Polaridade. O outro movimento DIVINO no regresso a CASA, faz-se através do movimento para cima no saber ARCANO, a este o Hermetismo ensina a fazer através do entendimento do Principio da Correspondência, através deste, a ser que o entende e domina, eleva-se até outros níveis vibracionais | outros planos do mundo Imanente, assim atinge e experimenta, mesmo enquanto ser encarnado, outros estados de consciência, podendo desta forma dominar o estado de consciência deste plano denso.  

A vibração é um estado que define e limita os vários planos do mundo Imanente, ou seja, os vários níveis hierárquicos, as varias dimensões espirituais. Este Principio Hermético é na verdade neutro quando à sua interferência no processo de individualização ou de UNIFICAÇÃO.  Já o Princípio do Género, indica-nos o sentido da separação e da Unificação. O da correspondência mantem a UNIÃO que na verdade sempre existiu. O da Polaridade cria a descontinuidade, individualiza, é o verdadeiro responsável pela diversidade que o mundo onde vivemos apresenta, pela aparente individualidade de tudo e de todos.


No que toca aos aparentes movimentos | estados da consciência, aquele que entende os Princípios Herméticos, de certa forma domina-os, comandando assim o seu destino enquanto ser encarnado.  Todos os princípios atuam nestes movimentos DIVINOS, pois em todo o evento do mundo Imanente eles estão presentes. Assim o ser deve vê-los e sentir em que aspeto eles intervêm, por exemplo, sem deixar aqui informação desvelada, porque esse profundo entendimento deve ser tido pelo estudante | Busca-dor,  quanto à atuação dos Princípios Herméticos sobre os movimentos de consciência;

Mental – Onde todos ocorrem, em bom rigor, a própria consciência.
Correspondência – No seu movimento Une.
Polaridade – No seu movimento fragmenta
Género – Define o sentido para a União e fragmentação.
Vibração – Define o limite.
Ritmo – Define o tempo.
Causalidade – Define o espaço ,nos planos, em que a causa e o efeito ocorrem.

O Hermetismo ensina ao estudante através do Princípios Herméticos a forma como tudo no mundo Imanente funciona, para o ser que estuda e domina este Saber Sagrado, os mistérios divinos, são unicamente um processo de relembrar do seu saber olvidado pela densidade da “queda”.  

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Criando dimensões.


Pela natureza do mundo Imanente, vivemos uma ilusão tridimensional no que ao conceito espacial se refere, já se lhe juntarmos o conceito espaço-temporal, então poderemos falar numa quarta dimensão. Assim vivemos mergulhados numa ilusão tridimensional e aprisionados ainda por cima no tempo cronológico que para os seres que o conhecem, sabem que este tempo cronológico é também unilateral, ou seja, aparentemente não é possível retroceder no tempo, pois se você tentar voltar para traz no tempo irá gerar, ai sim, outras dimensões. O mesmo acontece se tentar avançar no futuro para alem do decurso normal do tempo cronológico que conhecemos. 

Aqui se aplica o principio da casualidade (causa / efeito)…imagine que através de seu quer / sua vontade, você pega num martelo e coloca um prego numa tabua e prega esse prego nela. Aqui cronologicamente e no tempo veja o principio da casualidade funcionando – quer pregar (causa)…procura um martelo (efeito)….coloca o prego na tabua (causa)….prega ele na tabua (efeito)….
Agora tente inverter os efeitos / tempo cronológico….comece do fim para o principio…retire o prego…fica na madeira a marca do prego, certo?!!! Então você já criou uma nova realidade / uma nova dimensão que seria outra se você não tivesse mexido ou tentado anular / retroceder na ação / recuar no tempo. Ao tentar repor a realidade / condição da madeira anterior, antes da ação do prego, você cria uma nova realidade, nunca a condição que a madeira tinha antes da ação efetuada pela causa que foi exercida pelo prego. Assim, a ação de tentativa de repor a realidade anterior, não o leva ao passado, mas sim a uma nova realidade /outra dimensão temporal.

O mesmo também pode ser válido para os efeitos criados sobre tentativas criadas sobre as três primeiras dimensões, falamos das espaciais.  Imagine que você vai de carro de uma cidade para outra, fazendo um trajeto especifico, mesmo que queira nunca seria possível voltar ao passado preciso que deixou, fazendo o trajeto inverso, por mais preciso que fosse esse regresso, nunca anularia e recolocaria você na condição exata que deixo quando partiu.


Sempre que tentamos alterar os efeitos gerados pelo fluxo natural da ilusão  que é a quarta dimensão que designamos de tempo cronológico, estamos criando novas ilusões temporais e quase sempre estas, têm reflexos nas três primeiras que são as dimensões espaciais do mundo denso em que estamos mergulhados. Isto nos leva a inúmeras outras dimensões e possibilidades, não somente as 12 que a física quântica fala. Unicamente a ciência dita tradicional ainda não entende a profundidade do entendimento da ciência sagrada que os estudantes de Hermetismo conhecem.

Podemos dizer que sempre que o ser encarnado age, cria uma nova realidade uma nova dimensão, quer seja ela espaço ou temporal. Cada ação gera uma nova dimensão que por sua vez se integra na ilusão que é o manancial de ilusões em que vivemos.


O significado da Páscoa e a sua mensagem.



O significado.

A Páscoa tem vários significados, como outras várias datas, são criadas comemorações para relembrar acontecimentos. A Páscoa tem para as sociedades cristãs um significado que todos identificam como ligado ao Avatar, espirito de nível Crístico que veio em missão à terra, trazendo a mensagem da salvação. Mas a Páscoa, já antes da sua chegada se comemorava, pois quando ele entrou em Jerusalém, nos últimos dias de vida enquanto ser encarnado, comemorava-se a Páscoa Hebraica. Mesmo os símbolos ligados à Páscoa Cristã, são na verdade, símbolos recorrentes dessa tradição Hebraica. Ramos de arvores da região, plantas aromáticas, etc., são na verdade atributos que simbolizam fortemente a comemoração da renovação das coisas, as colheitas para aquela época, era nesta data que todo o ciclo reprodutivo da natureza se anunciava e a partir dele, todos os ciclos ligados ao renascimento, renovação e fertilidade, se intensificavam. A Páscoa é pois um tributo à fertilidade antes de mais, ao ciclo da vida e do renovar através do ritmo constante: nascimento-morte-renascimento. A Páscoa assim, de forma velada, significa na verdade a vida eterna do ser-espirito e do seus ciclos de aperfeiçoamento.

A mensagem.

Cristo enquanto ser encanado, Jesus, sempre projetou a sua fé na ação. Hoje mais do que nunca a humanidade precisa que os que acreditam, não se mantenham unicamente na crença, na oração pela oração, mas sim através dela, façamos 'coisas' por nossos irmãos que ainda não despertaram, nesta ação pela fé, devemos ver a missão de todos nós, todos os que têm fé. A fé é pois algo que serve de instrumento de incentivo à motivação dos despertos para em nome do PAI, ajudar no despertar dos restantes irmãos. Façamos pois pela ação-da-fé, o que a 'doença' faz através do contágio. Projetando na ação diária a nossa fé, contagiaremos com a LUZ os nossos irmãos adormecidos.
É importante certamente estarmos 'salvos' e ai a fé passiva, o retiro e a oração ajudam-nos individualmente. Já se queremos estar libertos e na condição de seres-espíritos libertos, ajudar na libertação de nossos irmãos menores, então devemos agir. Para tal, devemos colocar a nossa fé em ação diariamente, fazendo coisas, deixando que essas ações contagiem todos os que nos rodeiam. Glorificar a DEUS não é rezar, glorifica-LO é agir por ELE aqui e junto dos que não acreditam. Estamos em 'guerra' e nesta 'guerra' o nosso estandarte é de fato a fé, mas nossas armas são a ação a que essa fé nos deve levar para despertar e libertar os 'adormecidos'...os aprisionados.

domingo, 1 de abril de 2012

Todos os caminhos nos levam à espiritualidade.


Todos os caminhos são verdadeiros, todos eles nos levam a algum lugar. A única diferença está na capacidade que temos em sabermos onde queremos chegar e nunca perder a capacidade de nos mantermos orientados para esse destino.
Grande parte dos seres espiritualistas, afirmam que a maioria da humanidade não se dedica o suficiente à sua real instrução, com o objetivo de alcançar um maior estado evolutivo. Na sua maioria, a humanidade, encontra-se até bem afastada de qualquer esforço neste sentido, esta afirmação é verdadeira, mas também é verdadeiro o dogma que nasce no seio  da comunidade de seres ditos mais espiritualizados, quanto aos formatos, locais e métodos que devem usar enquanto instrumentos de espiritualização.
 Por exemplo, para a comunidade mística que se diz, profunda conhecedora e detentora de uma maior consciência / cosmo-perceção, se estão criando um conjunto de dogmas sobre os locais, os ambientes e os estados propícios para meditação | para elevação da consciência. Cria-se assim a ideia comummente aceita que há regras especificas e metodologias únicas para meditar, para atingir esses níveis de consciência e assim sendo, quem não os pratique, está fora do grupo, está menos evoluído.
Paradoxalmente, os mesmos que afirmavam que os restantes seres humanos que os rotulavam de serem anormais, são agora os que, eles próprios, confirmam que de fato quem está fora do seu comportamento, é diferente deles, por isso, anormal. Neste caso, porque não seguem os seus padrões, não são seres espiritualizados, não são capazes de estados de consciência elevados. Que loucura, que limitação, que cegueira, que tão pouca sabedoria…como pode alguém que pensa assim ser sábio, ter uma consciência elevada, ou até estar para alem do estado de qualquer outro ser humano em estado denso?!!
Quantos dos seres que praticam ioga ou outros tipos de processos de meditação, sabem o que são estados elevados de consciência?
Quantos seres que se dizem espiritualizados, sabem reconhecer o que são os processos vindos do pensamento e os processos recebidos pela intuição / perceção?
Quantos desses seres, algum dia receberam sinais do saber ARCANO vindos da verdadeira consciência?
Respondemos poucos, muito poucos. No entanto, todos cumprem os pressupostos que a comunidade diz serem indispensáveis seguir para atingir o tão procurado estado de sublime consciência. É, paradoxalmente, fazem o que eles próprios acusam as religiões tradicionais de fazer, seguem regras que nem questionam, seguem que nem rebanhos e devido à acídia nem questionam os resultados. Mesmo que todos eles não sintam qualquer efeito significativo desses “rituais” místicos, não se atrevem a afirmar: “não sinto nada”, preferem inventar, sensações, copiar criativamente descrições de outros que também criaram com base em conceitos de muito poucos que na verdade apresentam estados elevados de consciência.
Caricatamente a moda de ser-se espiritualizado e o medo de não se ser aceito, pelos restantes, leva a que quase ninguém tenha qualquer evolução de verdade sob a visão da libertação do ser-espirito, mas para sermos parte do grupo, devemos seguir as regras e assim se cria uma enorme farsa. Unicamente esta é na verdade, criada pelos ditos seres que depois são acusados pelos materialistas de serem de fato uma farsa e assim os segundos acabam por seres constituídos de razão pelos primeiros.  


Na atualidade são os vários métodos que levam, ou melhor dizendo, tentam ou prometam levar à meditação. Entendendo que a meditação será um instrumento e terá como objetivo a procura de estados de consciência | cosmo-perceção elevados.
Os rótulos que se criaram, levam a que as fronteiras do que são os procedimentos de meditação sejam muito limitados e é aceite por todos ou quase todos que fora destes, não há mais nada. Ridículo, tanto como a afirmação dos materialistas que o mundo espiritual não existe.
Todos os que tentam atingir estados de meditação através dos anunciados métodos, estão errados, pois se antes não tiverem entendido o que é o processo da mente, do pensamento, do ego, nunca entenderão o que é o processo-egoico e nunca saberão diferenciar o que é intuição ou perceção dos truques que o ego cria para ilusoriamente apresentar um mecanismo de bloqueio. Assim para atingir estados de meditação e conseguir estados elevados de consciência,  não basta seguir instruções, é também necessário entender e incorporar através da reflexão. Caso este não seja o caminho, todo o ato de suposta meditação não será mais que nada, no seu resultado.
Maior resultado obteremos se dormirmos uma breve cesta. Sim, pois até o método que nos leva a adormecer e nos processos de acordar, nele a mente atinge níveis mecânicos significativos de diminuição da sua atividade e ai, por breves instantes, em estado de vigília atingimos involuntariamente estados de maior consciência ou cosmo-perceção.
Os métodos mecânicos de diluição fisiológica da atividade do cérebro enquanto órgão do pensamento, são de fato para o ser menos experimentado, os mais adequados. Aqui adequado tem que significar resultados efetivos, ou seja, capacidade real de receber o saber ARCANO dos estados mais elevados da consciência.
Meditar é na verdade “calar o pensamento”, deixando que o silencio que é resultante desse “calar”  permita ao ser-espirito que há em todos nós, ouvir o dialogo que ele tem constantemente com o saber DIVINO. Mas esse dialogo só é ouvido se o “barulho” que resulta do pensamento que é o ego, cessar. Imagine alguém a falar incessantemente, junto de nós, com um megafone e dois outros seres a tentar ouvir-se um ao outro. Impossível, só pedindo ao detentor do megafone que cesse o ruido, será possível ouvir o que o outro ser nos transmite. Aqui o ego representa o ser que tem o megafone e este, por sua vez, representa aqui o pensamento.
A meditação é o pedido ao cérebro que cesse a sua atividade de forma a que essa diminuição, limite o ruido originado pelo pensamento de modo a que o ser ouça o seu dialogo com o eu-superior. Assim o objetivo é parar ou diminuir significativamente a atividade do cérebro que é o órgão que gera o pensamento. Os métodos a usar para tal prepósito podem ser os de carater espiritual | psíquico, sendo que estes exigem conhecimento e entendimento profundo sobre os seus inúmeros temas ou então, os métodos mais eficazes para os seres pouco experientes. Estes últimos são de fato muito efetivos nos seus resultados, mas a comunidade dita esotérica, não só não os usa, como nem sequer está consciente deles, isso por presunção e falta de humildade de análise, permitam-se chamar mesmo de fundamentalismos espiritual. Mas deixem-me dizer-vos que a humildade é parte do ser-esprito e quanto maior esse estado de humildade, maior também o estado de consciência.  
Assim podemos aplicar o sono como método de aproximação mecânica a estados de meditação, aproveitando os momentos de despertar e adormecer, nos momentos antes e depois, quando em estado de vigília. Esse pode ser o melhor momento de elevado estado de consciência, pois ai tudo o que vem, vem com o dialogo do pensamento bem aligeirado.
Outro método mecânico eficaz é o da utilização do exercício físico cárdeo de grande duração para entrar em estados de meditação e ai se conseguem estados prolongados de elevado estado de consciência. Vejamos, ao efetuar um treino físico de carater cárdeo resistente, obrigamos fisiologicamente o nosso organismo a envolver-se no processo de diminuição do funcionamento do cérebro. Se obrigarmos os outros órgãos e os grupos musculares envolvidos a usar a maior parte do oxigénio e energia, então o cérebro ficará limitado no seu uso, por sua vez, irá ter que reduzir significativamente a atividade do pensamento e quase de forma voluntaria entraremos em estados de profundos entendimentos, meditação e estados elevados de consciência.
Este ultimo é provavelmente o melhor método de meditação de todos, até mesmo dos  resultados apresentados em muitas circunstancias pelo ioga mental ou o físico.
Desmistifiquemos pois o fato do ser espiritual ter que fazer os seus rituais de meditação em certos lugares e ambientes. Desmistifiquemos também que os seres espiritualmente elevados são até fisionomicamente semelhantes, que comem, bebem e se comportam todos da mesma forma, ou até que só sendo de determinadas formas se é mais evoluído espiritualmente. Isto são modas, dogmas, códigos…ignorância pura.
A análise pelas aparências exteriores comportamentais, são um dogma e paradoxalmente é isso que a própria dita comunidade esotérica faz na sua maioria.
Que a LUZ se mostre para que as trevas se dissipem.


Os movimentos do regresso a CASA.


O caminho espiritual faz-se de fato, levando o ser a trilhar o caminho do meio, como afirma o Hermetismo, a eliminação das Polaridades, a passagem das colunas da esquerda e da direita da arvores da vida da Cabala, para a coluna do equilíbrio, a coluna do meio. Mas este é parte dessa evolução, é só parte, pois como quando caminhamos, podemos caminhar no sentido certo – no sentido da origem, ou pelo contrario, podemos estar a caminhar  no seu oposto. Aqui a anulação das polaridades representa o ato de caminhar, mas ainda assim falta-nos ter o conhecimento do caminho, ter o mapa. Este conhecimento quanto à certeza da direção, é-nos dada dela ampliação do nosso estado de consciência.


O primeiro movimento no caminho da libertação | evolução espiritual do ser, se faz pela eliminação das polaridades. Isto de forma simples representa a libertação do ser face aos códigos, dogmas e preconceitos que são criados ao longo da encanação que têm como único efeito a criação do conjunto de apegos e são as mais poderosas armas de que o ego se socorre para manter o ser prisioneiro. Este movimento é designado pelo saber ARCANO, por movimento “PARA A FRENTE”.
Já o segundo movimento para a verdadeira LIBERTAÇÃO é o de elevação do estado de consciência, nele a ser para alem de eliminar as polaridades, o entendimento que o mal e o bem são duas partes de uma só coisa ou evento, o ser percebe também, através da experimentação, eleva o seu estado de consciência e nesse movimento coloca-se acima do estado natural de observação comum face à observação desse evento. Ao afastar-se do evento do mundo emante, o ser só o pode fazer num movimento de ascensão. Assim quanto mais se afasta do reflexo que se projeta no “espelho”, mais se aproxima da origem, da UNIÃO como o TODO. A este movimento o saber ARCANO designa de “PARA CIMA”.
O mais elevado plano do Mundo Imanente é o estado de condição de consciência do UM, este tem várias designações, nível KRISTICO, DEUS, QUERER SUPERIOR. Aqui a UNIÃO é no estado UM, mais do que isto e para alem dele só o estado NADA, o que o Hermetismo designa de Mundo TRANSCENDENTE | MUNDO DE DEUS.
Então como podemos chegar a DEUS, como podemos atingir a UNIDADE?
Como dizem as filosofias místicas e o saber ARCANO: “Para a FENTE  e para CIMA”. Estes são os dois movimentos para o regresso a CASA.
video